Sua administradora está preparada para interagir com os síndicos da geração Y?

Um novo século se iniciava e muita gente em estado de alerta, temendo uma possível revolução dos computadores. O mundo inteiro desconfiado e achando que os equipamentos eletrônicos iriam deixar de funcionar e que o dinheiro iria desaparecer das contas bancárias. Alguns chegaram ao ponto de pensar que o fim do mundo estava se aproximando!

Tudo começou quando em meados do ano de 1999 notícias com conotação de alerta foram veiculadas sobre o bug do milênio, que fazia referência aos sistemas antigos que foram desenvolvidos para interpretar apenas os dois últimos dígitos do ano. Assim, na virada do ano de 1999 para o ano 2000 os sistemas iriam interpretar o ano 2000 como o ano de 1900.

Neste mesmo período, uma nova geração de pessoas também estava começando a surgir. Batizada como geração dos millennials ou simplesmente Y, esta geração surge em meio a uma série de transformações e avanços tecnológicos, como exemplo a internet.

E com tantas transformações, novos comportamentos foram tomando forma e uma mudança gigantesca na forma de interação foram sendo construídas. Principalmente as relações de trabalho e os novos hábitos de consumo.

Esta nova (ou não tão nova assim) geração acaba de completar a maioridade nesse ano, e já podem exercer cargos e funções de responsabilidade, tal como a de um síndico de condomínio. Será que sua administradora já tem o traquejo para interagir e fazer negócio com esta nova persona?

Para você vender para um millennial, você precisa entender de fato a real necessidade da pessoa, quais problemas seu produto ou serviço visa resolver. Apenas assim a decisão de compra será tomada.

Os millennials são extremamente ligados a tecnologia, pois nasceram em um mundo globalizado, são extremamente ágeis, proativos, dinâmicos e muitas vezes avessos a burocracia, papeladas e reuniões.

Essa geração está propícia a ocupar o lugar daquela figura de síndico de um senhor com uma caneta e papéis nas mãos, óculos na cabeça, resolvendo os problemas da vizinhança marcando dezenas de assembleias.

Diante deste cenário, sua administradora precisa estar preparada para um novo modelo de administrar e gerir, acompanhando o pensamento veloz desse novo consumidor e atender aos pedidos com um certo imediatismo que também é uma característica dos millennials.

Síndicos mais jovens com inquietações e necessidades diferentes, que buscam mais agilidade e menos burocracia. A geração dos “cabeças baixas”, que vivem consultando os seus smartphones e o Google, não são adeptos de ligações telefônicas, menos ainda de encontros pessoais. Com isso as administradoras precisam “entrar no ritmo”. Sabendo que precisarão fazer adaptações e ajustes para se adequar a essa nova forma de gerir dos Y.

Como a administradora deve se comunicar com essa geração?

  • Acompanhar a evolução, preparando-se para adaptações, como reduzir a necessidade de encontros e ligações, voltando-se cada vez mais para o uso de aplicativos especializados para o segmento de condomínios;
  • Estar ligados em todas as novidades tecnológicas, para atender possíveis pedidos desses novos síndicos;
  • Reduzir ao máximo as informações para que sejam mais diretas;
  • Lançar novas propostas que incentivem esse síndico a continuar utilizando a administradora, pois sempre estão em busca de novidades;
  • Entender que é uma geração de uma certa inconstância, a administradora precisa ter uma agilidade para fazer adaptações rápidas.
  • Usar mais a comunicação no meio virtual;
  • Entender a linguagem dessa geração como, por exemplo: gírias, abreviações;
  • Reduzir o uso de papéis.

Ainda não existe uma fórmula concreta para essa interação e relação, mas já podemos adiantar que essa geração de síndicos vai dar uma “balançada” nas administradoras e é importante que a sua já esteja se preparando.