Implantação de Condomínios: como e quem pode ajudar nesse momento complicado?

Atrasos na entrega do empreendimento, divergências entre a Incorporadora e os adquirentes, atraso do Habite-se, liberação das concessionárias; Estes são apenas alguns dos diversos problemas que ocorrem no momento de implantar um condomínio novo e este é o momento mais difícil para todos: Síndico, Conselho, Administrador e até mesmo os próprios condôminos que chegam cheios de dúvidas e sem noção de como tratar com o recém nascido (O Condomínio). Daí vem àquela dúvida, a quem recorrer?  Uma boa Administradora, e toda Administradora que se preze deve ter um setor exclusivo para implantação de condomínios com profissionais qualificados e com a expertise para tratar dos assuntos burocráticos, pois será este setor que irá cuidar de todas as demandas iniciais como também orientar o Síndico na condução e implantação do Condomínio.

Para implantar um condomínio existem várias fases administrativas e operacionais que irão possibilitar seu funcionamento. As três fases mais importantes são:

Fase 1 – Análises documentais (Minuta de incorporação, Memorial descritivo, Habite-se e AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, documento fornecido pelo Corpo de Bombeiros, depois que a edificação é inspecionada e considerada em conformidade com as exigências da legislação quanto a prevenção e combate a incêndio);

Fase 2 – Levantar todos os materiais e equipamentos operacionais e de segurança que deverão compor o enxoval do empreendimento; e

Fase 3 – Aplicar regramentos gerais de convívio e de obras e mudanças que serão acompanhados e fiscalizados pela Administração.

Outro fator importante a ser elaborado e aprovado em assembléia é o Planejamento orçamentário que definirá a cota condominial que será rateada por todos os Condôminos. Além disso, o Síndico deverá criar uma comissão ou até mesmo contratar uma assessoria jurídica para elaborar a Convenção e providenciar após aprovada em assembléia o registro da mesma, para que seja possível emitir o CNPJ do Condomínio. Também será necessária a elaboração do Regimento Interno que será utilizado como regramento principal do condomínio.

Seguindo todas essas fases e com a contratação de uma boa Administradora o Condomínio terá uma excelente implantação.